HomeNotíciasSaretta cobra explicações sobre lenta aplicação da vacina em SC

Saretta cobra explicações sobre lenta aplicação da vacina em SC

Saretta cobra explicações sobre lenta aplicação da vacina em SC

O deputado estadual, Neodi Saretta, fez uma manifestação contundente na Assembleia Legislativa esta semana, em relação à lentidão na aplicação das poucas vacinas contra o novo #coronavírus que chegaram aos municípios catarinenses. Segundo ele, que é presidente da Comissão de Saúde da Alesc, é inadmissível que em cerca de 20 dias de campanha, Santa Catarina tenha aplicado somente 36% das doses que recebeu.
“Há cidades que vacinam até às 17h na sexta–feira e não aos sábado e domingos, num período de emergência. Temos uma capital que aplicou somente 115 vacinas em um dia e há um município com 21 salas e uma só vacinando. Não é possível uma cidade com um número x de salas, que se dividir proporcionalmente, vacina seis pessoas por dia/sala. É preciso agilidade. Acorda Brasil, acorda Santa Catarina e municípios! Não é discurso político. O povo está morrendo, há duas semanas que o número de mortes no Brasil não baixa de mil por dia”, destacou.
Ele lembra que já foi uma enorme dificuldade em obter um imunizante, pois o governo não queria negociar com certas empresas e fazer parcerias com determinados laboratórios. Teve vários entraves burocráticos e a exigência de que os testes fossem feitos no Brasil, enquanto há farmacêuticas com vacinas liberadas, decisão finalmente corrigida pela Anvisa.
O deputado procurou saber o motivo da campanha estar indo tão devagar e disse que recebeu várias justificativas. “Ouvi que era medo, porque se fala tanto em sansões para quem furar a fila. Criou-se um clima tão ruim que suspenderam a imunização justamente em Manaus, cidade que está com a saúde em colapso. Ora, investiguem os culpados, mas não parem a vacina.”
Saretta ressaltou que o Brasil já vacinou mais de 10 milhões de pessoas em um único dia e contra o coronavírus foram apenas 2,4 milhões em 15 ou 20 dias. “Se quisermos sair da pandemia, temos que tomar as precauções recomendadas e a vacina. Se alguém não quiser se vacinar, passa pra outro. Tem gente esperando avidamente e o secretário da Saúde tem que ver o que está acontecendo. Chega de fotografia e solenidade de recebimento. Vamos vacinar.”
Proposição – O deputado está fazendo uma proposição ao Estado para que não espere só pelo SUS nacional, o que seria o ideal, mas as vacinas estão vindo muito devagar e se o Ministério da Saúde não quiser negociar com o laboratório A ou B, que vá atrás.
“Calculei que um que município recebeu R$ 60 milhões em função da pandemia, se comprasse vacina para a metade da população, gastaria R$ 3 milhões ou R$ 4 milhões.” Segundo ele, se comprar 20 milhões de doses de uma farmacêutica, 10 da outra, 30 da outra, daqui a pouco haverá a quantidade necessária a toda a população catarinense.
Compartilhe
Twitter
Visit Us
Follow Me
Instagram
Siga o PT
LinkedIn
Share
Sem comentários

Deixe seu comentário