Padre Pedro critica proposta de auxílio emergencial de R$ 200

O deputado estadual Padre Pedro Baldissera criticou a nova proposta do auxílio emergencial do governo Federal que, ao invés de prorrogar os R$ 600,00, quer pagar três ou quarto parcelas de cerca de R$ 200,00. “Um  botijão de gás custa em torno de R$ 85 a R$ 90 e um quilo da carne, das mais baratas, por volta de R$ 30. Este valor é uma crueldade, uma desumanidade.”

Padre Pedro ressaltou que, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD COVID19, com o fim do auxílio emergencial em dezembro de 2020, 12,8% dos brasileiros passaram a viver com menos de R$ 246 por mês, ou seja, são quase 27 milhões de pessoas em situação de pobreza e miséria no Brasil. “A cada dia percebemos, acentuadamente, aumentar a grande dificuldade que as famílias estão passando”.

Ele afirmou que a renovação do auxílio emergencial de R$ 600 é fundamental para evitar o agravamento da fome e do desemprego, pois a pandemia ainda não acabou. “Muito pelo contrário, ficou mais intensa. Esta semana vimos a saúde entrar em colapso no Oeste do Estado. Os hospitais ficaram superlotados, sem leitos de UTI e as pessoas com Covid-19 tiveram que ser transferidas para outras regiões.”

Segundo ele, durante a pandemia o auxílio emergencial salvou vidas e alimentou brasileiros que perderam seus empregos devido à crise. Segundo a PNAD, o número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado caiu 7,5% na pandemia, totalizando uma perda de 2,5 milhões de postos de trabalho.

Para o parlamentar, o auxílio emergencial não deveria ser considerado um gasto para o governo Federal, mas um investimento nas pessoas, na economia e no dia a dia do Brasil. “Junto com a vacina, é a forma mais rápida de ajudar a tirar o Brasil desse momento de tanta dificuldade.”

 

Compartilhe
Twitter
Visit Us
Follow Me
Instagram
Siga o PT
LinkedIn
Share
Sem comentários

Deixe seu comentário