Sexta, 15 Dezembro 2017

Mulheres negras e o nosso espaço dentro do PT

WhatsApp Image 2017 12 03 at 20.22.47

 

Ao longo da Militância Petista percebemos como nós mulheres negras somos fundamentais na construção do partido, seja na militância diária como em processos eleitorais, mas apesar disso ainda somos INVISÍVEIS nas atitudes políticas do Partido dos Trabalhadores – PT. O que reflete nas participações e tomadas de decisões e eventos. A ausência de temas inclusivos, faz com que o POUCO da militância da comunidade NEGRA se desmotive a participar.

Vale frisar que essa invisibilidade do movimento negro e, principalmente, das mulheres negras não se dá somente dentro do Partido dos Trabalhadores, mas é um reflexo da sociedade brasileira que nos põe às margens. Somos as mulheres que estão no alicerce da pirâmide de classes, temos os salários mais baixos, somos o maior número de desempregadas, somos 70% dos casos de feminicídios do país, somos as mulheres criminalizadas pelo aborto, as que sofrem maiores violências obstétricas e as que continuam sendo vistas como carne barata e de livre acesso.

Tivemos avanços, claro! Devemos recordar, que os governos de Luís Inácio LULA da Silva e Dilma Rousseff, por meio de Políticas Públicas, oportunizaram ao povo negro a abertura de várias portas, no entanto estamos no país onde o racismo se inicia dentro de casa, ainda no berço, que mesmo um negro sendo formado em universidade, convive com a dificuldade de acesso ao mercado de trabalho, enfim, que aceitem o seu “TOM” de pele.

Quantas vezes, eu, mulher negra, ouvi e ainda ouço nas entrevistas de emprego que moro muito longe, por morar em favela. Diziam que meu currículo era muito fraco, que eu precisava fazer faculdade. Fiz, acreditava que tudo ia melhorar, ledo engano, não mudou, piorou. Sou uma negra com diploma e sem oportunidade. Agora preciso explicar os meus fracassos, por não ser tão BEM SUCEDIDA, afinal, sou uma universitária que faz faxina!

O espaço da política é um espaço público e este lugar, historicamente foi negado à negritude e às mulheres. Estamos em diversas formas de organização política, muitas vezes garantindo a estrutura para que atividades, movimentações, articulações e formulações políticas sejam efetivadas. Ao se fazerem presentes nestes espaços, o racismo e o machismo estrutural da sociedade, que excluem as mulheres negras da real decisão de poder, nos movimentos sociais, partidos políticos, sindicatos, coletivos e nas diversas formas de organização política existentes.

Nos sentimos REPRESENTADAS nas nossas deputadas, senadoras, vereadoras, presidentas municipais do Partido, presidenta eleita Dilma, porém temos também “QUALIFICAÇÕES” para assumir tais desafios.

Em 2016 aconteceram as eleições municipais. Analisando os dados das candidatas à vereadora, é perceptível as diferenças gritantes. De um total de 731 candidatas, apenas 5,33% delas eram negras, portanto, Santa Catarina tem hoje, 35 vereadoras petistas e NENHUMA Negra. Lembrando que a última mulher negra eleita em Santa Catarina foi a deputada Estadual Antonieta de Barros, em 1930. Quando vamos mudar esse quadro?

Quando ecoamos gritos de visibilidade, nos tentam calar de todas as formas possíveis, nos impedem de demonstrar o quão cruel é o racismo existente em nossa pátria, nos acusam de “vitimistas”, de exageradas, de pessoas que querem apenas privilégios. Mas, qual privilégio queremos? Seria privilégio o reconhecimento social de nossa humanidade, de nossa etnicidade? Exageramos quando exigimos respeito por nossas características étnicas? Estamos nos vitimizando ao exigir igualdade racial? Estas são perguntas que nos rasgam por dentro.

Queremos ajudar a promover um novo DESPERTAR de atitudes políticas Petistas, ou seja, um outro jeito “de fazer política”, com as Mulheres NEGRAS Petistas. Visando colaborar neste processo, estamos criando o Coletivo de Mulheres NEGRAS Petistas, que trabalhando lado a lado com o já existente Setorial de Mulheres do PT, vamos construir o nosso espaço e, JUNTAS ocupar o nosso lugar que historicamente nos foi e nos é negado.

Vamos juntas, negras e negros do Partido dos Trabalhadores! Axé!

*Cirene Cândido é da executiva do PT de Balneário Camboriú, militante do partido, do Setorial de Mulheres do PT-SC e do Coletivo de Mulheres Negras Petista SC.

0
0
0
s2sdefault

Cartilha, Direito de Resposta

Nosso Endereço

Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina.
Praça Olívio Amorim, 36, CEP: 88.020-090, Florianópolis - SC
Fone/Fax: 48 3028-6313

Editar o site