HomeNotíciasDresch criticou Pinho Moreira por responsabilizar PT por bloqueios em rodovia

Dresch criticou Pinho Moreira por responsabilizar PT por bloqueios em rodovia

Dresch criticou Pinho Moreira por responsabilizar PT por bloqueios em rodovia

O deputado estadual Dirceu Dresch, líder da Bancada do PT na Alesc, disse, na sessão plenária da manhã desta quarta-feira (30), que o governador Eduardo Pinho Moreira foi irresponsável ao tentar, nos meios de comunicação, atribuir o bloqueio das rodovias ao Partido dos Trabalhadores. Segundo Dresch, o governador quer politizar a questão, mas na verdade foi o presidente Michel Temer, do seu partido (MDB), que não teve competência para dialogar com o movimento dos caminhoneiros e com a população e deixou a situação se agravar. “Aliás, também foi o seu partido, em Santa Catarina, o primeiro do Brasil a pedir a saída da presidente Dilma Roussef.”

Segundo o deputado, os governos petistas construíram com muito sucesso uma estratégia nacional soberana de investimento em pesquisas na Petrobras e para segurar os preços dos combustíveis para que não impactassem na inflação e corroessem o salário do trabalhador. Para Dresch, as grandes petroleiras e os EUA estavam por trás do golpe de 2016, porque o PT coordenava o debate da lei da partilha e do controle do Brasil sobre o petróleo e o pré-sal.
Dresch comentou que o PT foi o primeiro a sofrer com o movimento contra partidos no Brasil, mas que depois atingiu a todos “inclusive o de Pinho Moreira (MDB) e do seu presidente”, respondeu ao governador. “Tem uma paralisação dos petroleiros em curso, sim, da Federação Única dos Petroleiros (FUP), que começou hoje, mas querer trazer a responsabilidade das atuais manifestações e obstruções para o PT é querer incendiar ainda mais a sociedade contra nós.”
Segundo o deputado, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, foi um dos responsáveis por este desastre e pela entrega de quase a metade da Petrobras para os acionistas internacionais. Esta política atrasada e equivocada voltou com tudo após o golpe. Deixou 40% das nossas refinarias ociosas, que poderiam estar produzindo o nosso combustível, e provocou a importação com altos preços e em dólar. Por isso que os caminhoneiros autônomos e a sociedade brasileira não estão satisfeitas. Parente tem que sair e esta política mudar”, defendeu.

Compartilhe
Sem comentários

Deixe seu comentário