Caravana Lula Livre percorre o sul para exigir liberdade ao ex-presidente

Mobilização em Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba contará com Fernando Haddad, que vai denunciar os retrocessos de Bolsonaro, como a reforma da Previdência

Sem um projeto para o país e com uma política de retirada de direitos do povo, o desgoverno federal acaba com os direitos e com todos os programas que mudaram a vida dos brasileiros. Por isso, o Partido dos Trabalhadores tem o compromisso de fazer resistência aos retrocessos de Jair Bolsonaro(PSL), e vai promover a Caravana Lula Livre no Rio Grande do Sul , Santa Catarina e Paraná, nos dias 5, 6 e 7 de abril, respectivamente, com Fernando Haddad, ex-candidato do PT nas Eleições 2018.

A mobilização é a primeira sem a presença do ex-presidente, que há 354 dias é um preso político na Superintendência da Polícia Federal, entretanto, está repleta da Ideia Lula. Um conceito de que o povo é a prioridade de um Brasil que deve ser soberano.

O secretário Nacional de Comunicação do PTCarlos Árabe, destacou a importância que Caravana têm para o momento que o país vive, de entrega de riquezas e ataques à classe trabalhadora. “O Lula é o presidente de honra do PT. Temos uma obrigação moral de lutar contra essa injusta prisão. O partido continua acreditando na Justiça, de que ela será feita. Lula é um preso político. A Caravana é a primeira sem a presença física dele, mas com forte presença da ideia Lula, do símbolo que ele é”, exaltou Árabe.

Ainda segundo o secretário Nacional de Comunicação, a Caravana é uma iniciativa do PT, mas que está amplamente aberta para todos as forças que lutam e acreditam que a liberdade de Lula representa a liberdade do povo e da democracia brasileira. “A Caravana, que vai contar com o Fernando Haddad e toda a direção nacional e as estaduais é uma iniciativa do PT aberta para todos os aliados, todos aqueles que querem levar à frente a libertação do Lula. A liberdade do ex-presidente é mais do que reconhecer que foi possível fazer políticas para o povo, é, sobretudo, a possibilidade de formular um Brasil além do legado deixado”, aponta o secretário.

Caravana e Jornada se unem por Justiça

Árabe ainda lembrou que após os dois grandes atos em Porto Alegre-RS e Florianópolis, nos dias 5 e 6 de abril, a Caravana se junta ao Comitê Lula Livreque organizou uma intensa mobilização com uma Jornada em Curitiba-PR no domingo 7 de abril, data em que se completa um ano da prisão política do ex-presidente.

A iniciativa é parte da reorganização das estratégias de mobilização dos comitês populares espalhados por todas as regiões da nação e reativa e fortalece a campanha Lula Livre lançada ano passado.

Da Redação da Agência PT de Notícias

Compartilhe
Sem comentários

Deixe seu comentário