Saretta relata aumento da ocupação de leitos de UTI e falta de medicamentos sedativos

O deputado Neodi Saretta falou, durante a sessão na Assembleia Legislativa, da grande preocupação com a falta de medicamentos para pacientes intubados e o alto índice de ocupação dos leitos de UTI. O deputado relatou que a aquisição de relaxantes e sedativos para pessoas intubadas foi um dos principais assuntos discutidos durante a reunião com a Comissão de Enfrentamento à Covid-19, da Câmara Federal, juntamente com os representantes do Ministério da Saúde e do Estado. “Cobramos do Governo Federal a aquisição desses medicamentos, pois há hospitais, inclusive, cancelando todo o tipo de cirurgia, principalmente pela falta de sedativos. Há dez dias os sedativos deveriam ter chegado ao estado”, disse o parlamentar.

Saretta relata que, conforme o Ministério da Saúde existe uma negociação com o Uruguai para aquisição dos medicamentos. “Cobramos o compromisso do Ministério da Saúde para centralizar essa compra para depois distribuir aos Estados que, no caso de Santa Catarina, é a grande prioridade do momento, já que estamos passando por uma fase bastante difícil”. Ele disse ainda sobre o aumento dos casos de Covid-19 em Santa Catarina, que é o terceiro estado brasileiro com o maior índice de contaminação por número de habitante. O aumento dos casos está refletindo na ocupação de leitos.

 

Em Santa Catarina mais de 70% dos leitos destinados aos pacientes com coronavírus estão ocupados

O deputado lamentou que pacientes estão precisando ser transferidos para outras cidade por causa da falta de leitos de UTI. “Houve a transferência de dois pacientes, de Tubarão e Itapema, para o hospital São Francisco de Concórdia. Espero que não precise fazer um deslocamento tão grande, por isso é fundamental ativar esses novos leitos”.

Saretta informou que o Ministério da Saúde se comprometeu em encaminhar, ainda nesta semana, 240 monitores, que serão agregados aos respiradores para ampliar a capacidade de leitos de UTI no estado. “Santa Catarina vive o pior momento da pandemia, então nós, como cidadãos, precisamos ter a consciência da gravidade que é esse aumento dos casos da doença, pois estamos com falta de medicamentos para a sedação de pacientes e altíssimo índice de ocupação de leitos. Por isso é preciso a centralização do Ministério da Saúde na compra desses medicamentos para auxiliar os Estados e para que nós possamos enfrentar esse momento de pandemia que assola nosso estado”.

BOAS NOTÍCIAS – Depois de tantas reivindicações a Secretaria Estadual da Saúde, finalmente, emitiu ordem bancária para o pagamento do auxílio emergencial aos hospitais filantrópicos. Esses recursos são extremamente importantes, pois irão ajudar os hospitais no enfrentamento da pandemia.

Compartilhe
Twitter
Visit Us
Follow Me
Instagram
Siga o PT
LinkedIn
Share
Sem comentários

Deixe seu comentário